Mulheres na Matemática

Entrevistas

O dia 11 de fevereiro é o “Dia Internacional para Mulheres e Meninas na Ciência”. A data foi instituída em dezembro de 2015 pelos Estados-Membros da Organização das Nações Unidas (ONU) com o objetivo de reconhecer o importante papel que as mulheres desempenham na Ciência e Tecnologia. Embora a igualdade de gênero, na Ciência e Tecnologia, seja considerada pela ONU uma meta importante para o desenvolvimento da sociedade, essa meta parece estar longe de ser atingida, principalmente nas áreas da ciência conhecidas como STEM (da sigla em inglês para Science, Technology, Engineering and Mathematics). [1]

No caso particular da Matemática, existem estudos mostrando que meninas e meninos têm aptidão para essa matéria numa mesma proporção. Ao chegar na adolescência, parece que o gosto pela Matemática diminui entre as meninas.

Uma das iniciativas do projeto de extensão “Mulheres na Matemática” é trazer exemplos de mulheres que trabalham em diferentes subáreas da Matemática. Para  as professoras Cecília de Souza Fernandez e Ana Maria Luz Fassarella, o objetivo é criar modelos.  Elas acreditam que um dos motivos para as adolescentes se desmotivarem com a Matemática é a falta de identificação.  Quando se fala em fazer ciência, para a maioria da população brasileira o cientista é homem, branco e velho.

Nesse sentido, apresentar a história de matemáticas brasileiras e suas pesquisas é muito importante. Aqui, então, serão apresentadas histórias de algumas matemáticas brasileiras e suas contribuições em pesquisa. Boa leitura!

[1] www.anpg.org.br

Translate »